Um mundo cada vez mais digital
Brasil criou carro elétrico 34 anos antes de Elon Musk lançar primeiro Tesla
Exibir tudo

Wyndham Olímpia Royal: referência em protocolos, dá segurança ao hóspede e ao colaborador, afirma o GG Nilton Camillo

01 de março 2021

A primeira rede hoteleira internacional que se instalou em Olímpia (SP) foi a Wyndham Hotels implantando na região uma cultura de excelência em hospitalidade. O complexo hoteleiro Wyndham Olímpia Royal, que tem como gerente geral Nilton Camillo, enfrentou  e enfrenta todos os sobressaltos da pandemia causada pela Covid-19, mas também tem servido de referência com seus protocolos de segurança e higiene. “Desde que o hotel fechou, num primeiro momento, em 23 de março, no ano passado, começamos a acompanhar os protocolos da Wyndham, lá de fora. [Esse material] veio da maneira que poderia ser aplicado aqui dentro [no Brasil]. Homologamos empresas para, na hora que precisássemos abrir, estivéssemos preparados”, afirma Nilton

“Nesse momento de crise, o mais importante é a gente passar a experiência para o hóspede e para nossos colaboradores de que eles estão seguros. E hoje conseguimos isso”, afirma Camillo com segurança. Abaixo transcrevemos os principais assuntos da entrevista, que foi acompanhada pelas executivas Michele Tavares, diretora de Vendas e Marketing da unidade e por  Natália de Oliveira, gerente de Marketing LATAM.

Adaptações e mudanças diante do Plano SP

Hoje, temos uma equipe de auditoria interna formada, que vai monitorando e procura passar informações e orientações não só para os hóspedes, mas para os parceiros que a gente tem aqui, seguindo todos os protocolos. Para você ter uma ideia, eu tenho fiscalização aqui da Prefeitura praticamente um dia sim e um dia não, para ver se estamos seguindo os protocolos. Os próprios fiscais é que dizem: “Realmente, vocês são referência em Olímpia”…isso faz uma grande diferença, dá uma tranquilidade para nós. Criamos o “Comitê COVID”. Muda a fase, entram todos os protocolos novos, utilizamos todos os EPI (Equipamentos de Proteção Individual) recomendados pelos protocolos. Mudou a fase, a gente começa a envelopar o hotel e sinalizar tudo o que não pode e o que pode.

Adaptações protocolares

Teve fase, no final de janeiro e começo de fevereiro, que era proibida a venda de bebida alcoólica. Duas semanas com o hotel aberto, funcionando, mas sem venda de bebida alcoólica. E os hóspedes entenderam, compreenderam e passamos esse momento. No apartamento, era liberado. Sinalizamos todo o hotel, oferecemos serviço de delivery, no bar, no restaurante e até nas lojas; tipo: compre e receba no apartamento, trabalhamos nesse sentido.

Percentuais de ocupação permitida

Quando a gente abriu, era permitido 25% de ocupação. Depois de um mês, passou para 55%. Daí, em novembro, chegou a 75% e recuou. Atualmente, temos disponível, que é a fase vermelha, 50% de ocupação, no máximo. Sendo que o parque pode trabalhar no máximo com 40% de ocupação.

Wyndham Olímpia Royal (Crédito: divulgação)

Réveillon

Fizemos um réveillon seguro. Montamos uma estratégia de vender todos os apartamentos voltados para piscina e, à meia-noite, na hora da queima de fogos, junto com a equipe toda, pedimos para os hóspedes subir, todos para as sacadas. Foi maravilhoso! 70% dos hóspedes que estavam no hotel assistindo toda a queima de fogos, com segurança, nas sacadas!

Parque Aquático e reservas

A Wyndham faz a operação hoteleira do complexo, mas o Parque Aquático é independente. É o primeiro parque aquático mais visitado da América Latina e o quinto mais visitado do mundo. Ele compete inclusive com alguns alguns parques internacionais em tamanho e número de visitantes em épocas normais.

Nós comercializamos, hoje, no Wyndham Olímpia, somente pacotes de hospedagem. Temos dentro da propriedade uma agência exclusiva de vendas de tickets dos parques da cidade para os nossos hóspedes. Eles compram os ingressos de parque sempre à parte.

O cliente de lazer faz a reserva totalmente pensando no parque. Mas, conseguimos trazer uma experiência diferente para o hóspede – também nos momentos em que o parque esteve fechado. Temos nove piscinas aqui no hotel, sem contar duas que são cobertas. No total, são 11 piscinas. Fora isso, eu tenho mais dez ofurôs, que são oito para o lado aberto, ao ar livre, e dois cobertos.

O hotel consegue trazer uma experiência diferente para o hóspede, mesmo o parque não estando funcionando. Lógico que o parque é a grande atração nesse momento, mas a gente conseguiu trabalhar isso fortemente.

Bleisure

Quando nós chegamos, um ano atrás, não víamos tantos hóspedes trabalhando no hotel. Quando estruturamos a rede Wi-Fi, colocando um sistema mais seguro, obedecendo a legislação (LGPD), vimos um escalonamento do trabalho remoto em nosso complexo. O hóspede senta na área da piscina, vê os filhos brincando com a equipe da recreação e ele está lá trabalhando com o seu notebook.

Fonte: www.diariodoturismo.com.br/