PARA CAIO COPOLLA ” DEIXAR DE APOIAR O GOVERNO NESTE MOMENTO É TRAIR O PAÍS.”

Empresa demite 300 funcionários e coloca faixa ‘agradecendo’ Doria e PSDB
20 de maio de 2020
Cuba vence o Covid-19 e tem uma semana sem mortes pela pandemia.
21 de maio de 2020

PARA CAIO COPOLLA ” DEIXAR DE APOIAR O GOVERNO NESTE MOMENTO É TRAIR O PAÍS.”

Caio Coppolla, comentarista político da CNN Brasil - Foto: Divulgação

20 de maio 2020

Para Coppolla, seria precipitado deixar de apoiar o governo neste momento por causa das divergências com a saída de Sérgio Moro da equipe administrativa.

Caio Coppolla, um dos comentaristas políticos da CNN Brasil, saiu em defesa do governo Bolsonaro no último final de semana, externando sua opinião crítica em meio à crise de confiança que se abateu sobre o Planalto após a saída do ex-ministro Sérgio Moro.
Para Coppolla, seria precipitado deixar de apoiar o governo neste momento por causa das divergências com a saída de Sérgio Moro da equipe administrativa.
“Parar de apoiar o governo neste momento é trair o país. Estar chateado com Moro ou Bolsonaro não é motivo pra sabotar um projeto construído a duras lutas e fazer com que o governo se arraste sem entregar nada ao povo até 2022. Quem perde é o Brasil”, afirmou Coppolla.
O embate entre Bolsonaro e Moro dividiu opiniões, e também os eleitores. Isso, porque, o então candidato à presidência também conseguiu reunir votos com base na expectativa de nomear o então juiz da Lava Jato para assumir a pasta da Justiça (ou enviá-lo para uma vaga no STF), o que animou muitos populares.
Com a saída de Moro – e não meramente uma saída, mas acusações graves contra o presidente -, o ex-juiz da Lava Jato abriu uma ferida na base de apoio do Planalto. Para o jornalista Milton Neves, outro simpatizante da atual gestão, independentemente das intrigas envolvendo o ex-ministro e o presidente, ambos já deixaram um legado para o país.
“Moro e Bolsonaro brigaram, mas cada um ao seu tempo deixou um grande legado para o país: a exterminação do PT e de seus grandes e robustos ladrões que sempre vão sonhar com dinheiro fácil, o único “projeto político”de comunistas e de fajutos comunistas de ocasião”, afirmou Milton.