Festuris Connection desenvolve campanha em benefício ao Hospital São Miguel
Governo de SP muda critério de ocupação de UTI e facilita mudança de fase em plano de reabertura

DF tem os maiores investimentos em unidades básicas de saúde dos últimos tempos

Saúde mais estruturada: Inaugurada a UBS do Recanto das Emas

27 de julho 2020

As unidades básicas de saúde (UBSs) do Distrito Federal dão um salto de expansão em 2020 e seguem para a terceira inauguração até o início de agosto. Depois da entrega de novos equipamentos na Fercal, em março, e no Recanto das Emas, será a vez de Samambaia receber um posto de assistência à população. Esses equipamentos se juntarão a cinco já em construção e a pelo menos outros 13 que estão em fase de elaboração de projeto, que devem começar a ser construídos em 2021.

AS UNIDADES TÊM AUXILIADO, INCLUSIVE, NA PRIMEIRA ABORDAGEM DE PACIENTES COM SINTOMAS DE COVID-19. ISSO EVITA SOBRECARGA EM HOSPITAIS, DESAFOGA A DEMANDA DESSAS UNIDADES E MANTÉM A CONEXÃO COM TODA A REDE HOSPITALAR NA RETAGUARDA.

UBS do Paranoá Parque está aceleradamente a caminho da inauguração. Obra era uma demanda mapeada pela Secretaria de Saúde e agora será realidade

O secretário de Saúde do DF, Francisco Araújo, lembra que mesmo em meio à pandemia o GDF conseguiu passar de 90% a abrangência do atendimento do PSF. Segundo ele, o investimento na Atenção Primária é o motor de transformação do sistema público de saúde. “É na prevenção que está a grande resposta para a eficácia do serviço e melhoria da qualidade de vida do cidadão”, aposta.

Francisco Araújo, secretário de Saúde do Distrito Federal, disse ao DF Informa que todos os esforços estão sendo feitos para revolucionar a qualidade da saúde oferecida pelo GDF

SUS dependentes

De acordo com o coordenador de Atenção Primária da Secretaria de Saúde, Fernando Erick, a UBS presta um serviço mais próximo da comunidade, acompanhando o dia a dia dessas famílias, bem como evita adoecimentos e gera economia aos cofres públicos. “Realizamos um trabalho preventivo, abandonando a cultura de só resolver os problemas depois de eles já terem acontecido”, ressalta Fernando.

No Distrito Federal, mais de 70% da população não possui um plano de saúde e está entre os chamados “SUS dependentes”, ou seja, os que só podem contar com o Sistema Único de Saúde. “Estamos passando por um momento de consolidação da atenção primária e expandi-lo é fazer com que ele se torne ainda mais forte e eficaz”, defende o coordenador.

O DF conta com 172 UBSs, número que vai aumentar significativamente nos próximos dois anos. Atualmente, outras quatro unidades estão em fase de construção no Mangueiral, em São Sebastião; no Buritizinho, em Planaltina; no Paranoá Parque, no Paranoá; na QNR 2 de Ceilândia; e no Vale do Amanhecer, também em Planaltina.

UBS 16 de Ceilândia foi reformada e atende à população de forma mais adequada

Todas estão com 15% a 25% de execução realizada. A expansão para outras regiões administrativas está em fase de elaboração do projeto, como estudos de viabilidade da obra, adequação e regularização do terreno. As UBSs em funcionamento no DF ampliaram seu turno de atendimento.

Mais agentes

As equipes de atendimento do Programa Saúde da Família também aumentaram em 2020: saltaram de 366, em janeiro, para 524 em maio, após a contratação de novos agentes comunitários.

Supervisora de Atenção Primária no Paranoá, Luciana Maciel Lopes diz estar ansiosa para que a unidade em construção no conjunto habitacional Paranoá Parque seja concluída. Atualmente, ela atua em um posto provisório na região enquanto a UBS não fica pronta.

Enquanto atende os casos de Covid-19 que chegam por lá diariamente, ela e os colegas mantém a rotina de acompanhamento da demanda programada. Pré-natal de gestantes, crescimento e desenvolvimento de crianças até 5 anos e hipertensos e diabéticos estão entre as responsabilidades diárias.

Para a médica da UBS do Paranoá, a nova unidade facilitará o acesso da população e melhorará a logística de atendimento no Paranoá Parque. “Será um ganho enorme para a comunidade, que não precisará mais se deslocar para longe, e para nós, profissionais, que estaremos mais próximos dos atendimentos domiciliares”, explica Luciana.

Fonte: DF Informa