GUEDES CONFIRMA MAIS DE R$ 2 TRILHÕES DE REAIS DE RESERVAS INTERNACIONAIS
Delmasso pede reabertura parcial da Feira dos Importados

Delmasso pede reabertura de comércio de beleza e estética mediante utilização de manual básico de biossegurança

Foto: Divulgação

Segmento impacta a economia de 70 mil famílias dos profissionais da área

Por: ANANDA DIAS DE MOURA

Nesta terça-feira (14) o deputado Delmasso (Republicanos) enviou um ofício ao chefe da Casa Civil, Valdetário Andrade Monteiro, pedindo a reabertura dos salões de beleza, barbearias, esmalterias e spas. A “Comissão Movimenta Beleza do DF” pediu ajuda do parlamentar para buscar alternativas para a reabertura dos estabelecimentos, entretanto comprometidos a participar de forma ativa com a corresponsabilidade total na cadeia de biossegurança, dentro das ações de segurança e saúde do Governo do Distrito Federal.

A Comissão é formada pelo Sindicato das Empresas do comércio varejista de cosméticos, produtos de perfumaria e higiene do DF e pelo Sindicato dos trabalhadores em salão de beleza profissional da área da beleza e clínicas de beleza e instituto de beleza do DF. Após reunião com o chefe da Casa Civil do Distrito Federal e união das percepções expostas, foi elaborado um projeto de padronização do manual básico de biossegurança e a também a cartilha do cliente, os quais descrevem medidas que serão tomadas pelo seguimento da beleza a fim de reabrir suas portas durante a pandemia causada pelo COVID-19, que provocou o fechamento do comércio do DF.

Segundo a Comissão, o projeto visa corroborar com o combate da propagação do coronavírus, bem como reduzir maiores impactos financeiros negativos tanto na economia do Distrito Federal, quanto na economia das 70 mil famílias de profissionais empregados no segmento. Dentre várias medidas estabelecidas no projeto, estão a utilização e disponibilização de insumos de segurança da saúde tais como o álcool em gel 70%, luvas e máscaras durante os atendimentos, bem como o atendimento dos clientes realizados somente com horário agendado.

Esta categoria é responsável pela geração de muitos empregos, que estão em risco caso não possam trabalhar. “Seguindo inteiramente o manual básico de biossegurança e a também a cartilha do cliente estarão enquadrados nas ações de segurança e saúde estabelecidas pelo governo. Desta forma, os profissionais poderão garantir a fonte de renda de suas famílias”, deputado Delmasso.
[23:39, 16/04/2020] ANANDA DIAS DE MOURA Ascon Delmasso: Delmasso pede reabertura parcial da Feira dos Importados
2.300 pessoas dependem exclusivamente do comércio dos produtos

O deputado Delmasso (Republicanos-DF) solicitou nesta quarta-feira (15) a reabertura parcial da Feira dos Importados, semelhantemente à permissão que foi concedida a demais feiras do DF. Através de um ofício, o parlamentar fez a solicitação ao governador, Ibaneis Rocha (MDB), intermediando a solicitação da Cooperativa de Consumo dos Comerciantes da Feira dos Importados do DF (Cooperfim).

A Feira dos Importados de Brasília não constou no rol específico das demais feiras permanentes, que tiveram sua abertura parcial deferida no Decreto nº 40.583. O fechamento resulta em um prejuízo aos seus feirantes e cooperados, que somam 2.300 pessoas entre feirantes e familiares que dependem exclusivamente desta fonte de renda.

Mesmo de portas fechadas, a Feira possui um elevado custo fixo de manutenção, por isso é de suma importância a autorização de sua imediata reabertura, ainda que parcial e nos limites do Decreto. “É imprescindível que seja também permitido que os feirantes da Feira dos Importados de Brasília, possam retornar ao funcionamento ainda que parcial, para a retomada gradativa, ao menos, daquelas atividades autorizadas e já liberadas no Decreto Distrital”, trecho do ofício 107/2020, enviado pelo deputado Delmasso.

A Cooperfim ressaltou em seu pedido que se coloca à disposição para implementar as medidas de segurança conforme orientação do Ministério da Saúde e Secretaria de Estado de Saúde do DF e contribuir com a infraestrutura. A cooperativa citou também a garantia de pessoas capacitadas para o controle de acesso ao interior da Feira e também, checagem da temperatura corporal dos cidadãos, fornecimento de EPIs, álcool em gel, demais métodos de assepsia, além do distanciamento mínimo entre as pessoas.